perpétuo
és imortal
PERPÉTUO [ adj. que não cessa, que dura sempre; constante
quem se eterniza na história
perpétuo
Capítulo I
janeiro de 2017, inverno; st. akésan, canadá

Panteão

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Panteão

Mensagem por Hécate em 3rd Janeiro 2017, 19:26


Panteão


Deuses reencarnados

Adorados por civilizações esquecidas, algumas tão antigas que não restaram seus rastros, outras apenas são debatidas pelos mitos sobreviventes, mas também há muitas que se penduram até os dias de hoje em que a descrença é tão grande. Os deuses, ou Panteão — como são conhecidos nesse século —, são humanos tão normais quanto a gostosura de um bacon que, certo dia aleatório de suas vidas, encontram-se com uma mulher que é três, as Fúrias. Elas explicam abruptamente sobre quem esses jovens (sempre jovens) são realmente, deuses que tiveram a sorte de mais uma vez retornar ao mundo para serem adorados.
O tempo de vida como um deus é curto e, quando acaba, só é possível retornar após cem anos. Todavia, uma forma de se arranjar mais tempo é adquirindo mais fãs (os adoradores do século vinte e um), o que também permite se tornar ainda mais poderoso. Por conta disso, os mais novos deuses vivem como astros que fazem shows, entrevistas, tarde de autógrafos e, como todo famoso prestes a morrer, vive intensamente.

Haja ou não deuses, deles somos servos.
Fernando Pessoa.


Demais informações

DEUSES, em corpos humanos onde reencarnam, são tão poderosos quanto o nome sugere. Nenhum mortal é capaz de feri-los com ataques físicos convencionais, até a magia surte efeito menor neles. Por conta do pouco tempo de vida que cada um possui, eles acabam se apegando aos outros de sua espécie, apesar de jamais admitirem isso. Todos estão quase sempre em Burj Khalifa, o edifício mais alto do mundo e também morada do Panteão desse século.
Por conta da aura especial que todos eles possuem, todos são extremamente belos aos olhos de quase todos os mortais, sendo assim capazes de seduzir involuntariamente. Além disso, a música deles é ironicamente divina e possui um efeito mais forte que orgasmo podendo chegar ao ponto de fazer indivíduos desmaiarem devido ao tamanho prazer.
As Fúrias dizem que os deuses servem para inspirar os mortais, manter a tocha que protege a humanidade das trevas sempre acesa para que o mundo não seja perdido para monstros mais velhos que o mundo. Os deuses jovens, contudo, pouco dão valor a essas histórias.
Quando um deus está cantando ou fazendo algo para deixar seus fãs felizes, como dançar sem parar enquanto deixa todos num transe que permite dançarem incansavelmente, esse encontra-se vulnerável a ataques, quase como se fosse um mortal novamente. Dessa forma, ataques convencionais são eficientes neles.
Hécate
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Panteão

Mensagem por Hécate em 8th Janeiro 2017, 01:48


Do que somos capazes?
Como seus nomes sugerem, eles são capazes de executar feitos divinos, desde mover objetos com o pensamento ou resistir a ataques de armas comuns. E, além das habilidades que todos compartilham nesse grupo, há também especiais de cada deus.



Todos possuem



Telecinese


Telecinese é o poder do ganho da manipulação e controle de copos somente com a força mental, sem o auxílio de nenhum movimento físico. O uso de tal poder depende da criatividade do telecinético, mas em geral permite a levitação, locomoção, o disparar ou o quebrar qualquer objeto físico.

i. Adquire: campo de força e resistência mental.


Força Divina


Após o despertar do deus num corpo humano, adquire-se uma força extrema capaz de quebrar uma parede de concreto com um soco sem muito esforço ou até quebrar ossos com muita facilidade.

i. Adquire: super-resistência e super-pulo.



Fisiologia Divina


Suas células, apesar de ainda humanas, estão agora num estado sobre-humano como se estivessem totalmente energizadas o tempo todo, assim nunca morrendo com o passar do tempo e jamais necessitando que o corpo seja alimentado para manter as forças. Obviamente, a regeneração é potencializada o suficiente para estancar ferimentos com incrível facilidade, não deixar cicatrizes, ser imune a doenças e venenos não mágicos, ossos quebrados precisam somente de alguns minutos e órgãos não vitais podem ser refeitos após poucas horas, dependendo do estrago.

Ninguém é invencível
Descrição rápida sobre as vulnerabilidades.




Ambrósia


O que outrora foi alimento dos deuses do Olimpo, agora é prejudicial aos deuses do Panteão. Funcionando como a kryptonita desses seres, a ambrósia enfraquece as habilidades do deus quando entra em contato com seu corpo, podendo assim produzir feridas que regeneram em velocidade similar a de um humano normal. Quando ingerida por um deus, o corpo divino leva cerca de 3 turnos para eliminar esse "veneno" e assim reativar suas habilidades no máximo.


Leis das Fúrias


Quando as Fúrias encontram o novo deus a ser despertado, elas também explicam diversas regras que devem ser seguidas pelo bem do deus e dos mortais. A principal delas é não ferir mortais intencionalmente, mas há a exceção de quando os mortais o atacam, abrindo a chance do deus contra-atacar e não ser punido pelas Fúrias.
Hécate
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum